Ficha de Killer

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha de Killer

Mensagem por Killer em Sex Ago 01 2014, 21:34

Kovic “Killer” Dvalich

Sexo: Masculino

Nascimento: 06/04/1997 de Goldenrod

Idade: 16 Anos

Altura: 1,88 m

Peso: 85 kg

Carreira: Treinador

Descrição física:
Spoiler:



É um rapaz alto e de corpo forte, é um pouco bruto, nada elegante, tem uma postura extremamente desleixada, tem a pele extremamente pálida, os olhos são profundos e tem uma coloração estranha entre o amarelo e o verde, tem uma boca grande e dentes bem brancos estranhamente pontiagudos, tem diversas cicatrizes em seu torso, todas bem parecidas, são cortes feitos pela mesma lamina, tem algumas nos braços, mais próximas aos ombros, tem cabelos esverdeados e não liga muito para o jeito que esta arrumado, esta sempre com o cabelo bagunçado, só passa a mão pelos fios para os jogar para trás ou bagunça mais ainda seu cabelo certas vezes.
Usa uma camiseta regata preta surrada, uma jaqueta camuflada com as mangas puxadas até o cotovelo, são raros os momentos que deixa a manga até o pulso, veste luvas de couro abertas acima nas costas de suas mãos, usa um cap verde com a aba preta, usa calças folgadas  também camufladas que permitem uma ótima mobilidade e um cinto preto, calça coturnos marrons sempre bem amarrados.
Usa também um colar Dog Tag, ambas as Tags tem escritas em suas faces a palavra “Killer” feitas com uma lamina, uma das tags o traço é bem feito e ajustado, a outra tag tem riscos violentos e grossos, com varias pontas como se tivessem sido riscados mais de uma vez.

Personalidade: É possível dividir o rapaz em duas partes, talvez seja melhor colocar desse jeito, ele tem estranhos picos de humor, como se fossem duas pessoas praticamente, mas não, é simplesmente uma mudança extrema e exótica de humor.
Em parte do tempo o rapaz é gentil, de bom humor, sempre cumprimenta pessoas com um sorriso, atencioso, carinhoso, é uma alma bondosa vagando pelo mundo e que não recusa ajudar nenhuma pessoa, não importa quem seja, se julgar que a ajuda é valida ele vai sim ajudar, sempre calmo e ostentando um leve sorriso no rosto.
Na outra parte do tempo, ele é completamente o contrario, em um simples estalo, afinal tem um pavio extremamente curto, se torna um rapaz violento e grosso, não pensa muito para fazer suas ações, seu sorriso se transforma em algo parecido com um rosnado, ou em certas ocasiões um sorriso ainda maior, começa a falar de forma um pouco rouca, aprecia o sadismo, gosta de intimidar, começa a insultar as pessoas, fica de mau humor, as vezes a violência se torna algo mais complicado e não consegue se controlar, partindo para brigas em certos momentos.
Tirando isso, tem um amor grande por Pokemons independente de seu estado de espirito, honra é a coisa que mais da importância, promessas não podem ser quebradas, não existe desculpa para isso, não é tímido de maneira nenhuma, mas não é muito sociável por opção, prefere manter distancia das pessoas, afinal se conhece e sabe que pode explodir a qualquer momento, é extremamente sincero, não sabe se isso é uma coisa boa ou ruim, mas fala simplesmente o que pensa .

Biografia: Nasceu em Goldenrod, tinha uma vida simples, apesar de que não tinha pai nem mãe, mas isso não o afetava muito, tinha sua irmã, Pyetra, e era tudo que ele precisava, ela trabalhava duro para manter as coisas para seu irmãozinho. Quando criança Kovic tinha uma vida tranquila, era um bom garoto, sempre gentil e carinhoso, ajudava as pessoas da cidade quando precisavam dele, ajudava sua irmã em casa, gostava de brincar com os pokemons dos arredores, era uma criança feliz.
O dia em que pretendia sair para iniciar sua jornada estava chegando, Pyetra o chamou um dia em sua casa para conversar, do nada ela decidia o contar sobre seu pai e sua mãe, era fim de tarde, a luz de cor levemente laranja adentrava pela janela enquanto sua irmã começava a falar, ela contava que quando ela ainda era muito jovem seus pais eram extremamente apaixonados, ambos não podiam viver um sem o outro, mas seu pai era um soldado e passava boa parte do tempo fora, mas quando estava em casa toda sua atenção vinha para sua querida esposa e filha, pouco antes de Kovic nascer, seu pai ficou muito tempo fora, algum combate muito severo, e quando voltou estava mudado, ele simplesmente havia mudado, seu comportamento não era mais o mesmo, era como se elas não existissem mais e quando elas tentavam se aproximar, ele quebrava coisas, ficava bravo, chegava até a agredir Pyetra, depois do nascimento de Kovic sua mãe veio a falecer por problemas no parto, seu pai simplesmente decidiu ir embora, Pyetra só lembrava de ver a sombra de seu pai saindo pela porta enquanto segurava Kovic no colo, depois disso ela teve que dar seu sangue e suor para cuidar de seu irmão.
Ela então pegava uma mochila e dava para Kovic, eram os pertences de seu pai, podia fazer o que quisesse com eles, Kovic abria a mochila e encontrava um uniforme camuflado, mas algo mais interessante, um colar de identificação, uma dog tag, ele pegava e em ambas as faces do colar a palavra Killer estava escrita, um lado de forma normal, aparentemente feita com uma lamina, na outra os cortes eram todos tremidos e desiguais,ele colocava o colar e no mesmo momento sentia alguma diferença, não sabia exatamente o que era, mas era como se alguém estivesse tentando sair de dentro de sua mente, rasgando seu caminho pra fora.
Naquela noite, Killer teve um estranho sonho, via alguns pokemons, como se estivessem o puxando para baixo, não conseguia identificar quais eram, mas eram muitos, logo uma pata estranha aparecia e escutava um grunhido rouco, então agarrava a pata que o puxava para cima, quando abria os olhos era ele mesmo que estava segurando sua mão, mas era diferente, tinha olhos profundos e um sorriso imenso no rosto, seus olhos eram intimidadores e quase entravam na alma de Kovic, então ele se aproximava e sussurrava : Cheguei... Hihi.
Logo Kovic acordava, se sentia estranho, não sabia exatamente o que estava acontecendo. Então saiu para tentar encontrar alguns pokemons para observar, mas percebia algo diferente, geralmente era um garoto calmo, mas toda vez que alguém falava com ele, sentia uma raiva imensa arder dentro de seu peito, estavam o incomodando, como nunca havia percebido isso antes?
Chegava a floresta e começava a caminhar procurando algo de interessante, logo via um grupo de Spinaraks, era um pokemon interessante, mas sua aparência era meio bizarra, não era nem um pouco convidativa, então manteve sua distancia, até que escutou um som familiar, um grunhido rouco bizarro, mas dessa vez era bem alto, e parecia vir mais a fundo de onde o grupo de Spinaraks estava, ele se aproximava devagar, era uma floresta um pouco densa e não queria incomodar os Spinaraks, então caminhava passo por passo, mas não era mais preciso procurar, um Totodile macho estranho parecia discutir com um Ariados próximo de vários outros Spinaraks, aparentemente por uma fruta, o Totodile era um tanto estranho, ele gritava como se não houvesse amanhã na cara do Ariados sem medo de nada, Kovic havia achado engraçado e gostaria de ver um pouco mais, ele cruzava os braços e observava.
O Totodile continuava apontando na cara do Ariados, sem medo nenhum, até que ele aparentemente havia se cansado, cruzava os braços e virava de costas, parecia que o Ariados havia ganhado a discussão, até que o Totodile grudava a fruta e saia correndo, parando exatamente ao lado de Kovic, que observava o pequeno com os braços cruzados, ele se virava para o grupo de Spinaraks e o Ariados e então jogava a fruta nos braços de Kovic, depois saia correndo, Kovic arregalava os olhos e sentia a raiva queimar de novo dentro de seu peito, não pensava duas vezes e saia correndo atrás do Totodile, mal percebia o grupo de Spinaraks e o Ariados o seguindo também em fúria, ele rangia os dentes e corria atrás do Totodile que fugia aos berros, Kovic quando percebia o grupo atrás dele começava a correr mais rápido ainda, mas já não via o Totodile em sua frente, Kovic via um lago próximo e seu único pensamento era se jogar pra dentro dele, ele mergulhava e acabava largando a fruta, o grupo pegava a fruta e ia embora, ele observava as sombras com os olhos abertos embaixo da água, mas então sentia uma presença ao seu lado, quando virava o rosto via o pequeno Totodile com um sorriso maroto, como se estivesse deitado de barriga para baixo apoiando o rosto em suas pequenas patas, Kovic observava e começava a ranger os dentes, o Totodile percebia a raiva mas não ligava, ele agarrava o pequeno e saía do lado como que em um único movimento, o pequeno continuava com um sorriso no rosto, Kovic começava a gritar com o pokemon, mas então parava e o soltava segurando a dog tag e pensando no que estava fazendo, aquele não era ele, algo de estranho estava acontecendo.
O Totodile percebia a preocupação do garoto e dava um toque em sua perna, o garoto já estava mais calmo e passava a mão na cabeça do Totodile, parecia que o pequeno agora o considerava cumplice naquele roubo, acho que ele pensou que na cabeça dele o garoto estava ajudando ele. Kovic então continuou sua caminhada, o Totodile decidiu o seguir, o dia inteiro, sem mais nem menos, Kovic as vezes virava e gritava com ele, mas ele não ligava, as vezes virava e fazia carinho, mesmo assim ele não ligava, então Kovic gritava com ele por ele não ligar e assim foi o dia, se repetindo de novo e de novo até o dia começar a virar noite.
Kovic precisava voltar para casa, o Totodile não desistiu e continuou o seguindo o garoto. Ele entrou em casa e o Totodile simplesmente ficou do lado de fora, esperando que ele saísse, Kovic contou a sua irmã o que havia acontecido, ela o poupou do sermão sobre não mexer com Spinaraks e o mandou abrir a porta para o pequeno Totodile, o pokemon entrava na casa, o garoto encarava o pokemon que mantinha o leve sorriso no rosto, aparentemente o pokemon gostava dele, Kovic não estava certo do que estava acontecendo com ele mesmo, só sabia que o sorriso do Totodile o deixava com uma certa raiva...Muita raiva...E não sabia por que.
Naquela noite o Totodile dormiu no mesmo quarto que o garoto, naquela noite ele sonhou com ele mesmo novamente, dessa vez ele perguntava se havia gostado do presente, Kovic questionava o que ele estava fazendo com ele, o outro garoto só explicava que não estava fazendo nada, era simplesmente ele sendo ele, e era melhor ele tomar cuidado.
Era manhã de novo, o Totodile havia desaparecido, Kovic se sentia aliviado de certa forma, o menino se levantava e fazia toda sua rotina, então decidia sair para caminhar novamente como sempre fazia, naquela manhã sua irmã havia o abraçado mais do que normalmente, havia achado estranho mas não fazia perguntas, continuava caminhando e procurando por algo interessante para fazer, não via um ser naquela floresta, a cidade também estava meio parada, até que começava a escutar alguns passos nos arbustos, e barulhos esquisitos, muitos passos de pernas pequenas, quando se via cercado pelos spinaraks e finalmente o ariados, provavelmente já haviam pego o Totodile e agora queriam ele, nada pode fazer e ninguém veio o ajudar, correu como nunca floresta a dentro, quando conseguiu despistar aqueles pokemons em fúria, a chuva começava a cair como mais uma punição vinda dos céus, Kovic ficava com mais raiva e começava a amaldiçoar os céus como nunca, rangia os dentes e tirava o dog tag de dentro da camiseta, andando com o colar a mostra.
Chegava na cidade novamente, sujo, ensopado, cansado, e logo via algumas pessoas de preto saindo de dentro de sua casa correndo, a raiva sumia e o medo consumia seu corpo, ele corria tentando alcançar, mas não adiantava, quando entrava na casa, tudo que via era um pequeno totodile derrotado no chão e mais nada, sua irmã havia sumido, ele entrava na casa e pegava o pequeno no colo, aparentemente ele havia lutado contra aquelas pessoas, mas só ele não era o suficiente, ele defendeu aquela garota que havia acabado de conhecer e que era importante para o garoto que havia acabado de conhecer, mas na cabeça dele o garoto havia o ajudado, então não custava ajudar alguém para o garoto também, ele abraçava o pequeno e, como ainda era só uma criança, caia aos prantos, estava sozinho.
Acabou dormindo com o Totodile em seus braços, novamente sonhou, dessa vez, tudo estava escuro, então via sua outra forma parado em sua frente, ele perguntava como iam as coisas, o garoto começava a chorar novamente, então era agarrado pelo colarinho e sentia o tapa atingir seu rosto, seu outro eu olhava para ele com uma feição de desrespeito total e então começava a falar : Serio? Você não vai fazer nada? Aquele Totodile vale muito mais a pena que você. Ele lutou até o final, ele tem honra. Você? Alias... Nós... Infelizmente, nós... Ah... Seguinte... As coisas não vão se resolver sozinhas, eu não sou nenhum monstro, eu só sou você, tudo isso, é você, sem mais nem menos. A gente pode se ajudar e ajudar os outros, agora por favor, se recomponha, você ta me dando vergonha. E quando você me aceitar... Finalmente seremos alguém, Killer.
Ele acordava então com os raios do sol adentrando a janela, o pequeno Totodile estava sentado a sua frente, com o mesmo sorriso no rosto de sempre, Kovic entendia então, não era para se irritar com ele, aquele pequeno era sua válvula de escape, não seu botão de pânico, agora eram só os dois, esperava que o pequeno não o deixasse...
Alguns anos se passaram depois do incidente, Kovic agora preferia ser chamado de Killer, seu pavio continuava curto, mas agora estava acostumado, não era nada novo nem bizarro, seu outro eu fazia parte dele agora, seu Totodile continuava o seguindo, o pequeno continuava malandro e continuava ajudando Killer a se controlar. Agora Killer era um homem e Totodile seu melhor amigo depois desses anos, para sua idade era até grande demais, teve que trabalhar para sustentar ambos e isso acabou ajudando em seu físico agora usava o uniforme de seu pai, terminava de dobrar as mangas e amarrar seu coturno, ele colocava o cap e pegava a Pokebola de Totodile, colocando o mesmo em seu ombro, era hora de sair e procurar saber o que aconteceu, finalmente estava pronto, esperava só que sua irmã o perdoasse pela demora  e pela fraqueza, finalmente sua vida iria começar.

Região de Início: [ ] Kanto [x] Johto

Killer
Membro
Membro

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Killer

Mensagem por Artie em Sex Ago 01 2014, 23:35

Ficha aprovada.

Pode criar um box e se quiser, um storage. Depois disso, é só ir para o laboratório do Professor Elm para pegar  os seus itens e iniciar a jornada.
avatar
Artie
Administrador
Administrador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum