Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Página 1 de 6 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Artie em Qua Mar 22 2017, 19:01

Com uma nova aquisição em sua equipe, Blake decidiu desfrutar de suas primeiras férias como treinador. Por mais que tivesse viajado e conhecido várias cidades, o treinador sempre estava com algum objetivo em mente e nunca parava para curtir e conhecer os detalhes mínimos dos lugares com certa tranquilidade.

A cidade em que estava parecia ser perfeita para isso: o clima de tranquilidade pairava no ar e todos os moradores pareciam ser simpático, receptivos e atenciosos. E o melhor de tudo: o jovem podia andar pela rua trajando vestes típicas de turista que ninguém o julgava: bermuda com estampa floral, camisa branca e um belo par de chinelos! Isso sem contar nas toneladas de protetor solar que ele havia passado...

Seu objetivo principal era ir até a praia e, com alguma sorte, surfar um pouco. Porém, ficaria atento a todos os arredores. Qualquer atração ou distração para ele - e seus pokémons, que também mereciam férias - seria bem-vinda.

_________________
Prateleira de prêmios do Tutu ~



avatar
Artie
Administrador
Administrador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Dinho em Qua Mar 29 2017, 16:44

A chegada de Blake em Alola era gratificante para o mesmo. Após árduas batalhas no torneio organizado em Mu Island, no qual garantira sua passagem para o arquipélago, o rapaz pisava nas ruas de Hau'Oli City com sua farda turística, que não era tão diferente de outras pessoas que encontrava pela região, afinal, as ilhas passavam por uma época de turismo.

Ao caminhar pelo centro da cidade, em rumo à praia, Blake passou por diversas lojas e bazares, todos lotados de gente, como se fosse uma queima de estoque das Casas Bahia. Nos hotéis, a recepção aos turistas que chegavam de ônibus era calorosa, geralmente acompanhada com uma palavra específica que lembrava muito o nome do continente: "Alola!".

Por ser uma região litorânea, o calor não era o maior problema de Hau'Oli City, mesmo que a temperatura estivesse em números altos, a brisa refrescante do mar soprava e aliviava muito. O céu estava completamente azul, sem sinal algum de nuvens.

A paisagem era tão gratificante que Blake chegou ao seu destino sem nem perceber o tempo que levara caminhando. A areia era macia e branca - quente também - diferente de todas outras praias que o rapaz visitara em sua vida e a água era limpa e transparente. Muitos quiosques faziam sucesso, vendendo as melhores bebidas para as pessoas matarem sua sede. Realmente, Hau'Oli City sabia como receber turistas.

Haviam muitas pessoas na praia, mais do que nas lojas da cidade. Um casal de crianças brincando de pega-pega quase atropelou o rapaz - e sequer perceberam-o - jovens jogavam vôlei em duplas ou em grupo. Pokémon também apareciam aos montes, na maioria aquáticos, geralmente participando da mesma atividade que seu treinador/dono.

A água estava boa para surfar, o garoto tentaria a sorte?

Off: Oi, Artie! Acho que é a primeira vez que estou te narrando \o Peço perdão pela demora, terça-feira é dia de faculdade e fica osso de entrar no fórum. Enfim, espero que o atraso seja recompensado no decorrer da rota.
avatar
Dinho
Treinador - Criador
Treinador - Criador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Artie em Qui Mar 30 2017, 12:26

Off:
Hey, Dinho!
Sim, acho que é a primeira vez que você me narra, me lembro de situações que aconteceu o contrário: eu te narrando. Estou curioso para ver como vamos desenvolver a rota. Trabalhar com um narrador diferente sempre é legal. ;)
Como pode perceber, eu não tenho um objetivo claro para essa rota. Quero um foco um pouco maior nas personalidades dos pokémons e talvez fazer a Bounsweet evoluir, já que ela está no nível apropriado para isso.

Enfim, vamos lá. o/


Ao chegar na praia, o coração de Blake acelerou levemente. A brisa suave passando por seu rosto, a areia branca refletindo a luz solar, os turistas passeando e relaxando... Era tudo tão nostálgico! Aquela visão fazia com que Blake se lembrasse de sua terra natal, Slateport e dos tempos em que ele surfava. Aquela visão inclusive fez ele se recordar que desde que havia retornado para Hoenn, não havia pisado os pés na areia da praia de Slateport nenhuma vez. Que trágico!

Calmamente, o treinador começou a procurar por uma faixa de areia livre e comprida, afinal, ele tinha planos de retirar seu sexteto inteiro das pokébolas para que eles também pudessem relaxar. Assim que encontrou, o criador apoiou sua mochila no chão e estendeu uma toalha de praia que havia guardado dentro da mesma. Sentou-se calmamente e então liberou primeiro o quarteto de pokémons já consagrados de sua equipe: Sheldon, Yuffie, Duke e Skylar.


- Bom dia, pessoal! Hoje o dia está maravilhoso! Aproveitem o dia para relaxar!

O quarteto ficou em silêncio por um tempo, refletindo, e logo abriram sorrisos e se dispersaram. Para alguns deles, aquele ambiente era uma grande novidade. Sheldon e Yuffie foram até o mar, onde ficaram por um bom tempo sentindo as ondas baterem em seus pés. Duke, por sua vez, deitou-se de barriga para cima e começou a relaxar, numa tentativa de pegar um bronzeado. Skylar, por sua vez, deu uma bicada brusca, porém carinhosa, na cabeça de Blake e pousou ali calmamente.

- Skylar, está pronta para conhecer dois companheiros novos? Um deles eu consegui no GTS e a outra eu capturei hoje cedo com a Yuffie aqui em Alola!

A ave então piou animada. Blake não tardou e abriu a Pokéball e a Sport Ball que restavam, revelando Bounsweet e Lombre. O jovem havia deixado a dupla por último pois nunca teve contato com eles desde a captura. Ele não sabia como eles se comportariam, então decidiu apresentar-se e passar uma boa impressão para eles.

- Olá pessoal! Eu me chamo Blake e sou o treinador de vocês! - Skylar deu uma bicada na cabeça de Blake assim que ele terminou a frase. - E essa é Skylar. Aposto que seremos grandes amigos!

Com um largo sorriso no rosto, Blake aguardava para ver como eles reagiriam. Um pokémon novo na equipe sempre é uma surpresa. E é justamente por suas particularidades e personalidades que eles se tornam partes tão especiais da jornada de um treinador.

_________________
Prateleira de prêmios do Tutu ~



avatar
Artie
Administrador
Administrador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Dinho em Sab Abr 01 2017, 02:40

As lembranças de Blake e Slateport traziam uma boa sensação para o rapaz. Foi um pouco difícil encontrar um local reservado para seu time, pois a praia estava realmente lotada. Haviam um número razoável de pessoas ainda na volta do treinador, mas ele não conseguiria encontrar um cantinho melhor que aquele.

Como já era de se esperar, uma tartaruga bípede irada com canhões nas costas chamaria a atenção, e muita. Quando Sheldon se aproximou na beira do mar, um grupo de crianças ficou espantada ao vê-lo, e ficavam falando entre si "Uau! Que maneiro!". Por incrível que pareça, o pokémon ficou envergonhado. Já Yuffie, ao ver aquelas pessoas, resolveu retornar para perto de Blake, onde se sentia mais segura.

Enquanto isso, o rapaz se apresentava para seus dois novos pokémon, que pareciam felizes de estar ali. Bounsweet correu rapidamente para a toalha estendida no chão, pois a areia quente machucava seus frágeis pés. Ela estava muito contente em ver Blake, tentava dar saltos para alcançar seus braços, mas sem sucesso. Entretanto, com a aproximação repentina de Yuffie, sua postura mudou completamente. A pokémon natural da região ficou espantada, como se tivesse visto um fantasma, começou a tremer e tentou achar algum local para se esconder, mas sem sucesso. Talvez precisasse da ajuda de seu treinador.

Lombre, apesar de ser um pokémon noturno, estava bem alegre com a reunião que se encontrava. Ele não parecia confiar tanto em Blake como Bounsweet fazia, talvez por ter sido trocado no GTS, não queria depositar esperanças falsas no treinador. O gramíneo precisaria de atenção para se entrosar no grupo, e atenção seria algo difícil de receber, tendo em vista que havia uma ave egocêntrica pronta para fazer qualquer coisa para ter todo o foco em si.

Duke estava neutro.

Eram tantas coisas acontecendo que Blake não percebeu uma criança puxando seu braço levemente. Ela estava animada e ficava chamando o treinador de tio, até ele a notar.

- Tio, tio! Podemos brincar com o seu Turtonator? - Apontava para Sheldon.

Off: Que bom, eu não tava planejando nada muito agitado pra rota. É até melhor assim, não vou precisar mudar muito do que eu tava pensando.
avatar
Dinho
Treinador - Criador
Treinador - Criador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Artie em Seg Abr 03 2017, 22:22

Off:
Adicionar apelidos aos meus novos pupilos de grama. <3

Bounsweet vai se chamar Peach.
Lombre se chamará Poncho.


Para a felicidade de Blake, os dois novos integrantes da equipe pareciam estar super a vontade com sua introdução. Alola era um local maravilhoso, perfeito para relaxar e também para conquistar o coração de qualquer pokémon. Ele decidiu a oportunidade para entrosar um pouco mais com a dupla e dar nomes para eles. Afinal, a grande parte de seu time tinha um nome.

Enquanto observava a pequena Bounsweet toda sorridente e gentil, Blake mentalizava o fato de que um dia ela poderia se tornar uma rainha, também conhecida como Tsareena. Ao pensar nisso, não viu outra opção a não ser nomear sua Bounsweet com a mesma alcunha que uma princesa muitas vezes sequestrada numa franquia de video game que Blake amava jogar quando criança.


- Bounsweet, eu pensei dar para você o nome de Peach, o que acha?

A pequena adorou o nome e começou a saltitar de um lado para outro. Porém, ao ver Yuffie, paralisou por alguns segundos. Blake logo percebeu o atrito entre as duas, mas deixaria para resolver isso em outro momento. Havia chegado a hora de dar um nome para Lombre. Ele parecia de gostar estar ali, mas era um pouco tímido. Blake achou que dar um nome para ele e elogiar sua espécie talvez fosse uma boa chance de ganhar a confiança dele.

- Lombre, desde criança eu sempre gostei muito de Lotads. Quando me tornei um treinador, se tornou um objetivo ter um Ludicolo em minha equipe. Portanto, caso você não se importe, eu gostaria de dar um nome para você que eu já pensei faz muuuuito tempo. - Blake percebeu que Lombre o olhava atentamente, portanto, decidiu dizer o nome e esperar para ver o que ele achava. - O que acha do nome Poncho? Combina com você!

Felizmente o Lombre também parecebeu gostar do nome, o que poderia ser o início de uma bela amizade. Mas o diálogo ficaria para depois. Um grupo de crianças rodeava Sheldon e parecia querer brincar com ele. Mas uma das crianças o chamou de Turtonator. Blake não entendeu a princípio, mas logo entendeu que Turtonator era uma espécie de Alola.

- Mas é claro que vocês podem brincar com ele! Mas ele não é um Turtonator! Ele é um Blastoise, mas podem chamar ele de Sheldon!

Ao ver a euforia das crianças, Blake decidiu se levantar e aproximar-se da água. Antes disso, porém, convidou os seus pokémons para acompanhá-lo. Nem todos eram de água, mas provavelmente gostariam de sentir a água batendo nos pés.

_________________
Prateleira de prêmios do Tutu ~



avatar
Artie
Administrador
Administrador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Dinho em Dom Abr 09 2017, 02:15

Off: Adorei o nome Poncho aheuaehuaeh

O foco maior, com certeza, eram nos pokémon recém chegados na equipe, pois Blake, como um experiente treinador, sabia que era necessário esta atitude mais atenciosa para os novatos, a fim de entrosa-los melhor com o time em geral. Funcionava como uma equipe de qualquer outro esporte, apesar da maioria das competições oficiais seguirem um formato um versus um, o time inteiro estar engajado com o treinador sempre aumentou o desempenho individual de cada pokémon.

Talvez o jovem treinador de Slateport não fosse focado em ter um time campeão, mas ainda assim, queria dar sempre o melhor para seus companheiros de bolso. E suas intenções estavam indo de acordo com o planejado, Lombre adorava o nome que recebera. Rapidamente, abraçou seu treinador com um humor totalmente diferente do apresentado.

Nem todos os pokémon quiseram ir para a beira do mar. Yuffie preferiu ficar com Duke e longe daquele multidão de pessoas, este que apenas negou o convite balançando a cabeça e voltou a descansar de barriga para cima na areia.

O restante do time acompanhou o treinador até a beira do mar. Em poucos passos, a areia mudava lentamente para uma forma mais úmida, até começar a ficar um pouco grudenta. Peach não sabia como caminhar direito naquele solo, seus pés eram delicados e atrapalhava um pouco sua locomoção, mas não se abalou, apenas tentou se segurar no calção de Blake para garantir que ficaria equilibrada - e ainda estava muito contente. Skylar estava emburrada, pois não sabia como faria para ter a atenção necessária de seu treinador.

As crianças brincavam com Blastoise, que também se divertia com elas, Blake se sentia bem em ver seu primeiro pokémon feliz. As ondas do mar refletiam, na memória do treinador, toda sua trajetória até Alola, e o quão merecedor ele era de todas estas conquistas. Todos os desafios que passou, momentos bons e ruins, até mesmo o dia de declarações com Miranda. Começou a lembrar da praia de Slateport e de sua família, sua infância e amigos de escola. Onde estariam todos neste exato momento?

Entretanto, o momento nostalgia não durou muito tempo. Um grito de susto, fino e agudo, acabou quebrando os pensamentos do rapaz. Ao olhar na sua volta, percebeu a falta de um dos integrantes de seu time que o acompanhara até a beira do mar: Poncho. Pois bem, ele estava assustando meninas, indo por baixo da água e tocando em suas pernas, com a folha de sua cabeça. Uma atitude travessa, típica de sua espécie. Após os sustos, o pokémon saltava na água e sorria, abraçando quem assustava. Era engraçado como boa parte do seu alvo eram mulheres.
avatar
Dinho
Treinador - Criador
Treinador - Criador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Artie em Seg Abr 10 2017, 19:32

A princípio tudo parecia correr bem. Duke e Yuffie desfrutavam de um belo descanso enquanto os demais pareciam se divertir com as crianças. Sheldon estava realmente radiante. Provavelmente a última vez em que ele tivera um momento de descontração tão grande foi quando ele ainda era um Squirtle e esse fato chegou a deixar McBride com a consciência um pouco pesada. Mas ver o Blastoise sorrindo - mesmo com crianças tentando se enfiar dentro dos canhões dele - era algo especial. Blake deveria fazer isso mais vezes, de fato.

Mas logo a paz foi abalada quando McBride se deu conta de que Poncho estava tomando atitudes inadequadas. Era impossível definir até que ponto aquelas brincadeiras dele eram algo inocente ou com certa malícia, já que seu alvo favorito eram as mulheres, mas ele deveria parar. Antes de Blake falar diretamente com ele, decidiu unir o útil ao agradável e deu uma breve distração para sua Pidgeotto:


- Skylar, fique de olho no Poncho. Na próxima vez que ele tentar pegar na perna de alguma garota, voe até ele e use um Uproar no ouvido dele. Mete bronca mesmo!

Nesse meio tempo, o treinador pegou a pequena Bounsweet em seu colo, já que ele sentia que era questão de tempo para que passasse uma onda e deixasse a coitada se afogando. Logo que Skylar desse a bronca no Lombre, Blake iria até ele para explicar que o que ele estava fazendo era errado.

- Poncho, eu entendo que você goste de fazer brincadeiras. Todos nós aqui gostamos! Mas você precisa respeitar as pessoas. Muitos deles não estão gostando dessas brincadeiras e se a gente acaba incomodando os outros, acabamos atraindo coisas ruins para a gente!

McBride esperava que aquela lição fosse o suficiente para que o Lombre entrasse na linha. Ainda assim, ele ainda não conhecia a fundo a personalidade do aquático. Era imprevisível saber como ele reagiria.

_________________
Prateleira de prêmios do Tutu ~



avatar
Artie
Administrador
Administrador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Dinho em Sex Abr 14 2017, 08:42

As atitudes de Lombre podiam ser interpretadas pela falta de um treinador, misturado com uma característica muito comum de sua raça, que é de ser travesso. O pokémon não entendeu muito bem o sermão de Skylar, até Blake assumir a postura de treinador e explicar o bom senso ao gramíneo. Poncho apenas assentia com a cabeça e ficava desanimado.

Enquanto isso, a Pidgeotto parecia ter um plano em mente, e estava prestes a executa-lo. Após fazer toda uma reverência para ter a atenção de Blake, a ave bateu as asas e decolou em uma velocidade impressionante. Após realizar algumas manobras aéreas, ela aplicou uma rasante pela água, perfurando uma onda e impressionando todas as pessoas que estavam próximas. Mas ela não ligava muito para aqueles estranhos, e sim para a aprovação do treinador.

Peach agitava seu corpo nos braços de Blake, empolgada e impressionada com Skylar. Poncho continuava cabisbaixo, como se um pedaço da sua alma acabasse de ser arrancado. Sheldon nem percebia a situação atual de seus amigos, já que estava se distraindo com as crianças.
avatar
Dinho
Treinador - Criador
Treinador - Criador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Artie em Sab Abr 15 2017, 00:23

Apesar do breve mal entendido, Poncho havia reagido bem ao sermão recebido por Blake. Ele ficou um pouco cabisbaixo, mas era apenas questão de tempo até ele se adaptar. Com Skylar agitada e Peach impressionada com as habilidades da ave, o treinador decidiu fazer os três pokémons socializarem e se divertirem entre si. Assim quem sabe Poncho se animaria, Skylar se acalmaria e Peach pudesse se misturar com o restante do time.

- Por que vocês não ficam na beira da praia brincando um pouco? Só tomem cuidado para não machucar ninguém, ok?

Após esses dizeres, Blake retornou até Sheldon e fez um sinal para seu inicial, indicando o belíssimo oceano de Alola para o pokémon.
O jovem de Slateport estava interessado em tentar um esporte com o aquático agora que ele estava em sua forma final. Era uma oportunidade perfeita para aquilo.


- Sheldon, o que acha de tentarmos surfar juntos? Acho que eu consigo me equilibrar em seu casco!

O treinador então pediu licença para as crianças, afirmando que Sheldon voltaria mais tarde.

_________________
Prateleira de prêmios do Tutu ~



avatar
Artie
Administrador
Administrador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Dinho em Qui Abr 20 2017, 03:14

Off: Eu sei que to demorando e é um descaso muito chato que to causando. A faculdade e os feriados meio que me deixaram away de tudo, desculpe por não ter avisado sobre esses sumiços, foi um erro meu.

O trio de pokémon obedeceria seu mestre e ficaria na beira da praia se distraindo - e Peach teria seu desafio de conseguir manter-se de pé naquele terreno macio. Enquanto lá atrás, Duke e Yuffie continuariam dialogando tranquilamente. Por mais lotada que estivesse a praia de Alola, nenhum perigo cercava o time de Blake, já que Nidoking e Pidgeotto eram pokémon bastante treinador para se defender de humanos.

Sendo assim, o humilde McBride, a fim de relembrar seus tempos mais áureos, caminhou, com os ombros erguidos e peito estufado, até seu inicial, que brincava distraidamente com as crianças jogando-lhes água, e convidou-o para surfar. Como um bom parceiro, Sheldon não recusara a proposta, e logo se pôs aos pés de Blake para que este pudesse subir em seu casco.

Em patadas largas da tartaruga, a dupla mais radical de Slateport chegava em um ponto ótimo para surf no mar. Haviam outras pessoas praticando o mesmo esporte na área, com Starmie e Seadra, pokémon nativos de Kanto. As ondas formavam um tamanho apropriável para o surf, adquirindo tamanhos maiores do que o de Blastoise. Desacostumado com o esporte, Blake não conseguiu se segurar firme no casco de seu parceiro, e foi arrastado para fora de Sheldon com a onda que batera em seu peito em cheio.

O rapaz rapidamente se recuperou, chacoalhando a cabeça e tirando parte do cabelo do rosto. Blastoise gargalhava ao ver a situação atual de seu mestre, seus olhos brilhavam de felicidade em ter um momento de diversão com Blake. Rapidamente, se dirigiu até o criador e, abaixando-se, usando o pescoço e a cabeça, jogou-o para cima de seu casco novamente e nadou contra uma grande onda que se aproximava, perfurando-a.

Tanto Blake e Sheldon estavam desacostumados com o esporte e precisariam, juntos, se reacostumar.

Off: Escrevi o post ouvindo a abertura do anime de SM. Entra no clima ae qq

avatar
Dinho
Treinador - Criador
Treinador - Criador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Artie em Sex Abr 21 2017, 00:57

Aliaviado em saber que todos os seus pokémons estavam bem, Blake pode aproveitar o tempo livre para aproveitar da companhia de seu Blastoise e de finalmente realizar o sonho de surfar nas costas dele. Um dos sonhos de jornada do treinador era poder cruzar os oceanos de Hoenn com seu aquático e aquela tentativa de surfe era apenas o princípio de tudo.

Obviamente as primeiras tentativas não foram fáceis. O treinador já não surfava há muito tempo e se apoiar em um ser vivo e de casco irregular era bem mais complicado do que ficar me cima de uma prancha plana com proteção. O primeiro caldo acabou sendo hilário e pegando McBride de surpresa, que logo sentiu suas narinas arderem com a água salgada adentrando de forma inesperada. Felizmente o jovem sabia lidar com o oceano e Blastoise prontamente lhe resgatou, jogando-o em suas costas.

Apoiando-se em um dos canhões do aquático, Blake deu dois tapinhas carinhosos na cabeça de Sheldon e agradeceu ao seu amigo pela diversão. Os dois de fato sentiam falta de mais momentos como aqueles.


- Se a gente conseguisse de primeira não ia ter graça! Espero que esteja pronto para mais porque eu só vou sair daqui assim que conseguirmos pegar a onda perfeita!

O treinador então se apoiou firmemente em seu Blastoise mais uma vez e logo retornaram ao surfe. Enquanto isso, McBride observava de longe para garantir se sua equipe estava bem.

_________________
Prateleira de prêmios do Tutu ~



avatar
Artie
Administrador
Administrador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Iris em Qua Abr 26 2017, 14:25

OFF::
Artie! Olar. Então, pelo visto algo aconteceu com o Dinho e ele vai ficar sem pc por uns tempos (acho que cê sabe disso q). Então eu que vou te narrar por agora.

Blake observava seus pokemons ao longe. Skylar voava rasante rente à água que respingava em Poncho, que respondia atacando a água para revidar o ataque da ave. Ele se divertia, sua natureza travessa adorava a brincadeira. A pequena Peach observava maravilhada o pidgeotto, o que só aumentava a felicidade de Skylar, o pequeno bounsweet tentava imitá-la jogando água no lombre, mas ela era muito menos efetiva que o pokemon voador. Duke e Yuffie apenas curtiam o marasmo da praia, ambos formavam uma aura tranquila onde estavam.

Com tudo bem o treinador continuaria nas ondas até conseguir uma perfeita. Sheldon parecia determinado também. Os dois tentaram mais algumas vezes, com alguns pequenos sucessos. Juntos esperavam o momento certo. Eles perceberam quando ele chegou, de longe uma onda maior se formava, os dois se entreolharam determinados.

Eles conseguiram pegar a onda, ela era grande o bastante para formar um túnel em volta dos dois e a cena lá dentro era linda. A água trazia uma imagem de proteção e paz, era como se o próprio universo estivesse contido naquele instante e por um momento a própria vida foi infinita.

Mas as coisas passaram quando a onda se fechou em volta dos dois e tudo terminou em caldo. O blastoise riu um pouco de si e de seu treinador. De alguma forma era um bom final para a onda.

avatar
Iris
Treinadora
Treinadora

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Artie em Qua Abr 26 2017, 23:24

Off:
Oi Iris, tudo bem? ^^
Primeiramente, muito obrigado por ter assumido minha rota! Soube sim da situação do Dinho. Fui avisado antes mesmo de ter logado e fiquei surpreso de ver que minha rota já estava com gente nova narrando! Hahahaha
Pois bem, tirando o meu objetivo de evoluir a Bounsweet para Steenee em algum momento, a minha rota não tem muitas pretenções não. Queria apenas fazer algo mais descontraído mesmo, bem esse clima de férias. Interagir com os pokémons, fazer amizades, conhecer alguns pokémons de Alola... Então fique a vontade para usar sua criatividade, ok? o/


Após os primeiros perrengues, as novas tentativas de surf com Sheldon foram bem sucedidas. A última onda que eles pegaram havia sido incrível e a nostalgia mais uma vez atingiu McBride com força. Os tempos aúreos de universidade, antes de se tornar treinador e que finais de semana ensolarados eram sinônimos de praia. Bons tempos!

Como seus pokémons estavam relativamente bem e se divertindo bastante, o treinador decidiu se dar ao luxo de tentar pegar mais uma onda com seu Blastoise. Seu pokémon inicial não recebia uma atenção exclusiva há muito tempo e ele merecia. Era um dos pokémons mais poderosos do treinador e estava sempre disposto a ajudar quando necessário. Retribuir esse amor e lealdade era algo que McBride sempre fazia questão.

Porém, como haviam outras pessoas na praia, Blake também não forçaria a barra. Pegaria apenas mais uma onda. Essa senso bem sucedida ou não, o treinador voltaria até a areia para reagrupar seus pokémons. Conhecia o temperamento de Skylar. A Pidgeotto poderia facilmente arranjar confusão com alguém e brigas eram algo que Blake queria evitar durante suas férias.

_________________
Prateleira de prêmios do Tutu ~



avatar
Artie
Administrador
Administrador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Iris em Qui Abr 27 2017, 19:50

Mais uma onda, era tudo que o rapaz desejava, mais um momento com seu fiel companheiro. Tudo corria bem então se deu ao luxo, estava de férias afinal. Subiu no casco do blastoise e juntos se prepararam para a próxima onda. Ela era grande, nada como a anterior, mas ainda assim uma boa saideira. Treinador e pokemon demonstraram um bom sincronismo e terminaram a onda sem problemas.

Sorridentes os dois voltaram para a areia. Já na parte rasa do mar ele ouve uns barulhos agudos familiares, olhando na direção ele percebe que é Peach que corre até ele visivelmente agitada. Blake vai até o pokemon que pula em seus braços e se esconde no seu colo.





avatar
Iris
Treinadora
Treinadora

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Artie em Sab Abr 29 2017, 02:46

Off:
Apenas avisando que recebi sua MP, ok? ^^
Essa transparência com seus narrandos é essencial! É sempre melhor avisar eventuais problemas com antecedência.
De qualquer forma, boa sorte com as provas! Sucesso! o/


A sessão de surf terminou com sucesso, mas Blake havia ficado um pouco ofegante. Por mais que surfe seja um esporte na água e a mesma reduza parcialmente os impactos, o esforço para superar a força das ondas é grande. Como o rapaz estava enferrujado, não surpresa para ele aquele leve esgotamento físico. Ainda assim, o resultado foi satisfatório.

- Sheldon, o que acha de cruzarmos o oceano de Hoenn juntos quando retornarmos? Acho que pode ser uma boa experiência para a gente!

Sheldon parecia bem animado com a ideia. Aquáticos eram maioria na equipe de Blake, então eles teriam claras condições de se virar no mar aberto. Mas logo os planos e diálogos mudaram para uma preocupação momentânea: logo que chegaram na areia, Peach apareceu correndo desesperada até os braços de seu dono.

Diante daquela atitude da pequenina, o jovem esperava que nada tivesse acontecido com seus pokémons durante um breve momento de descuido. Blake até já se arrependia de ter pego a última onda! Enquanto questionava a pequenina, o nativo de Slateport olhou ao redor para ver se os outros pokémons estavam bem.


- Está tudo bem, Peach? Alguém tentou machucar você?

_________________
Prateleira de prêmios do Tutu ~



avatar
Artie
Administrador
Administrador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 18.1 - No balanço da rede, no balanço do mar

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 6 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum