Nunca é tarde para uma aventura

Ir em baixo

Nunca é tarde para uma aventura

Mensagem por Jay.N em Qui Out 12 2017, 01:57

Eram 3 da manhã, depois do ocorrido Jay tem tido cada vez mais dificuldades em permanecer dormindo, sempre vinham às mesmas imagens, sua mãe no segundo andar, o fogo devorando a loja, as expressões de pavor dos funcionários, a impotência que sentiu quando caiu no chão e o pior: não ter conseguido ao menos ver sua mãe uma ultima vez. A casa tem sido cada vez mais solitária, as velhas rotinas não faziam mais sentido e sua melhor companheira não estava mais ali. Depois de desenvolver insônia Jay tomou como rotina fazer coisas “úteis”, começou a praticar o ukulele, fazer flexões, abdominais, a correr na praia, na floresta e pela tarde iria para loja, onde se reunia com os funcionários e trabalhavam na reforma da loja. Mas hoje, exatamente dois anos após o acidente, as reformas acabaram e Jay finalmente partiria em sua jornada.

Eram 13 horas, embora bocejando e com a dor de cabeça que se tornou costumeira, estava feliz, ele e seus amigos conseguiram construir uma nova loja, todo o esforço, todo o cansaço, eles conseguiram reerguer a loja que sua mãe trabalhou tantos anos.  
Indo em direção á loja, passando pela praia, as imagens do incêndio vinham em sua mente, seu corpo começou a tremer, as cicatrizes doeram, estava surtando, sua respiração começou a ficar ofegante, como por instinto começou a passar a mão em seus braços até que sentiu um tecido macio, levou um susto, quando olhou pro braço viu a bandana de sua mãe, que começou a usar todos os dias, ficou por alguns segundos encarando a bandana, os tremores passaram, lágrimas pareciam que iam transbordar de seus olhos, mas ele reteve, afinal, hoje era um dia especial.
Chegando à loja, uma surpresa, no local onde ficava o antigo banner da loja, agora tinha uma placa branca cheia de rosinhas cor de rosa pintada e o nome “Rosie moveis”, o Machamp e os Machoke estavam na frente da loja, os funcionários estavam carregando salgados, confetes, frutas, eles prepararam uma festa de despedida, ele sorriu, muito, depois de muito tempo ele começou a rir de verdade, eles curtiram, aproveitaram a festa, depois de tudo, eles foram sua família e ele será eternamente grato.

Horas depois eles inauguraram a loja, Jay foi a beira da praia onde os pokemons estavam brincando na água, depois de tudo, ele adquiriu um carinho muito enorme por esses pokemons, e ganhou uma admiração enorme por tipos lutadores, ao chegar lá, deu um abraço no Machamp, que o retribuiu, embora fosse grato, ele tinha que ir, após uma despedida cheia de emoções, Jay foi pra casa, pegou sua mochila, colocou algumas mudas de roupas, apertou a bandana em seu braço, ajustou o colar e claro, pegou o seu melhor disco com músicas escolhidas a dedo por ele e sua mãe do Rei Elvis então, partiu em direção ao ponto de encontro que tinha acertado com um amigo, que daria uma carona pra ele até Littleroot Town. Dirigindo pela rota 101, inúmeros flashbacks passaram por sua cabeça, cenas do incêndio, da sua mãe cantando pra ele, a praia, tentando afastar a tristeza puxou de sua mochila o CD e pediu pra tocar, a primeira música, a mais nostálgica, “Aloha “Oe” que o fez apagar e em muito tempo, finalmente, ele conseguiu dormir de verdade.

Quando acordou, o carro estava passando por várias casas no meio de muita grama, pelo que tenha pesquisado da cidade sabia que já tinha chegado. Seu amigo o deixou na frente do laboratório Pokémon e partiu de volta em direção á Oldale Town.
Um pouco indeciso e distraído com a beleza simples da cidade, Jay vai pensando em qual Pokémon deveria escolher, pelo que soube o laboratório teria muitas opções de escolha, ele tinha preferência por pokemons tipo lutador ou que pudessem aprender movimentos do tipo, também pensou em algum Pokémon tipo água, adorava nadar, realmente não fazia idéia de qual escolher, enquanto a dúvida rondava sua cabeça, deixou um sorriso escapar, ele estava realizando seu sonho, estava mais que empolgado, estava feliz. Como costume, depois de adotar a bandana, toda vez que estava diante algo importante ou sério, ele a tira do braço e coloca na testa, apertando bem firme, decidiu:

“Vou escolher o inicial do mesmo tipo, do primeiro Pokémon que encontrar” –Decidiu Jay, dizendo pra ele mesmo.

Ao olhar ao redor, já próximo da rota 101, mexendo nos arbustos, ele vê um Seedot. Como tinha se decidido, resolveu seguir suas regras e escolher um tipo grama, ao entrar no laboratório e cumprimentar o assistente do professor, ele decide:

Jay: Eu quero o Treecko, por favor! –Falou com um sorriso no rosto.

O assistente traz a pokebola do Treecko, Jay muito empolgado libera o Pokémon, estende o braço com os punhos serrados e diz: "Vamos fazer grandes coisas Treecko", o Pokémon faz o mesmo comprimento de maneira confiante.
avatar
Jay.N
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Nunca é tarde para uma aventura

Mensagem por Artie em Seg Out 16 2017, 21:02

Editei seu início de jornada devido a uma incoerência de sua postagem. Não existem Sewaddles na região de Hoenn. Portanto, alterei a descrição de seu post para que ele fizesse sentido.

De qualquer forma, inicial entregue e perfil atualizado.

Ainda assim, você não está liberado para postar sua primeira rota. Para isso, você precisa incluir o link de sua ficha de personagem em seu perfil. Basta seguir o passo a passo a seguir:

Spoiler:

1- Entre em seu perfil


2- Adicione o link de sua ficha no campo apropriado e depois clique em "salvar" na parte inferior da página.


Assim que atualizar seu perfil, sua primeira rota em Littleroot Town ou proximidades poderá ser criada!

_________________
avatar
Artie
Administrador Chefe
Administrador Chefe

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum