000 - O Suicida

Ir em baixo

000 - O Suicida

Mensagem por Crannel.Auditore em Dom Out 29 2017, 16:49

O Sol estava radiante, englobando totalmente com seus raios solares a cidade de Littleroot, mas isso não importava. O jovem precoce melancólico e suicida apenas seguia com o lagarto de fogo sobre seu ombro em direção ao laboratório do professor. Ele não ligava muito para o ambiente, afinal aquela cidade para ele era bastante chata e sem animação alguma. A chance de encontrar uma razão para a vida de ambos estava em jogo, ele não poderia perder, ademais teria de convencer o professor a lhe permitir levar aquele Charmander preguiçoso com ele. Simplesmente após alguns minutos de caminhada cheios de piadas sobre tipos de mortes, ele finalmente chega ao laboratório do professor Birch. Um pouco intimidado pela imponência que o local dava, o garoto toma coragem e cerra seu punho direito, debatendo sobre a porta do laboratório em um breve toque-toque.

O laboratório estremece com o toque, era como se um amontoado de livros estivesse caindo lá dentro. Levantando uma poeira enorme que fugia pelas janelas do local. De forma desajeitada, um homem gordo, atrapalhado, e trajando uma bermuda e um jaleco surge abrindo a porta. Ele coçava a cabeça um pouco confuso, e com um sorriso sarcástico elevando a mão destra e dando um pequeno 'oi' para o garoto.

-Olá meu rapaz, desculpe por isso. Eu acabei me assustando e acabei deixando alguns livros caírem. Enfim, no que posso lhe ajudar ?

O professor o atendia com a maior calma do mundo, ele era bastante gentil. Porém essa sua forma de agir em conjunto a seu físico, dava a impressão a Crannel que ele era apenas mais um idiota que teria conseguido o cargo de professor comprando um diploma. Todavia o garoto apenas dava uma gargalhada de canto. Aquela situação era extremamente engraçada para ele, quem diria o professor local ser alguém com um parafuso a menos. Charmander apenas virava a cara, suspirando, demonstrando desinteresse no professor por sua postura patética. O suicida apalpava Charmander pelas suas bochechas, o virando de forma calma. Ele segurava uma das patinhas do Pokémon e balançava, cumprimentando o professor. Finalmente após as pequenas apresentações, o melancólico aspirante a treinador seguia e adentrava ao laboratório do professor, o explicando a situação.

-Professor, eu gostaria de me tornar um treinador. Porém, eu já sei o Pokémon que irei escolher, mas não é nenhum desse laboratório.
Eu achei um Charmander que andava por aqui, ele tinha uma perspectiva tristonha e preguiçosa igual a minha. Acho que ele combina comigo, então permita-me o levar em minha jornada para acharmos a razão de nossa vida, o que acha ? Hahaha


O Professor regional especializado em habitats, apenas encarava aquele garoto e pokémon. Ele aproximava-se de ambos e acariciava a cabeça do Charmander, o fazendo um pequeno cafuné. Ele entenderia a situação, realmente era um motivo bastante diferente para se tornar um treinador. Ele acabaria se interessando para ver o que a dupla seria capaz no futuro, talvez aquele poderia ser um bom treinador do tipo ghost ou dark. O que era de estranhamento era que ele queria iniciar com um Charmander, porém, acaba concordando. Acreditando que o jovem saberia o que queria, que talvez tivesse capacidade de lidar com todos os tipos de pokémon. O gordo retrocede e vai até um dos estandes de seu laboratório, vasculhando com certas dificuldades pela extensa quantidade de livros a prateleira. Depois de cinco minutos procurado, o homem tem êxito e acha o que procurava. Recolhendo do fundo da prateleira alguns itens, e logo demonstrava a Crannel do que se tratava. Eram cinco pokéballs e uma pokédex. Após o demonstrar, ele começa a configurar a Pokédex de Crannel, a identificando como sendo de posse exclusiva do garoto. Logo após, ele recolhe uma pokéball extra e entrega ao garoto.

-Tudo bem meu jovem. Você é Crannel certo ? Hmmm, sua mãe me ligou antes, ela avisou que você vinha. Ok, irei lhe deixar seguir jornada com esse Charmander, e irei lhe dar cinco pokéballs e uma pokédex. Elas serão bastante úteis em sua jornada. A Pokéball serve para capturar Pokémon, enquanto a Pokédex serve para os analisar e registrar. Tome essa Pokéball extra, capture o Charmander !

-Obrigado Professor, lhe agradeço pelo apoio. Vamos Charmander, seja meu Pokémon de fato !

O garoto pegava a pokéball extra e clicava ao seu centro. A Pokéball se expandiria com o clique. Crannel agachava-se e com a pokéball em mãos,
e certa confiança demonstrada por sua postura. Ele olharia firme para Charmander, como se estivesse fortalecendo ainda mais a promessa que eles teriam feito nesse mesmo dia, que iriam explorar o mundo para buscar uma razão para ambos, eles não seriam mais apenas dois melancólicos, vagabundos e preguiçosos. Eles nesse momento se tornariam Treinador e Pokémon, o que fortaleceria seus laços. Com toda convicção, o suicida encostava a esfera ao centro da cabeça de Charmander, o englobando. O Pokémon Lagarto de Fogo apenas dava um sorriso de canto, ele aceitaria de todo bom grato seguir aquele homem, mesmo que ele fosse um idiota, e assim se faz. Charmander é puxado por um raio escarlate a dentro. A pokéball cai nas mãos de Crannel e começa a se remexer, fazendo um som agudo três vezes, e por fim parando, sinalizando a captura. Um sorriso enaltece a face do garoto, ele apalpa aquela Pokéball com toda convicção e levanta ao alto. Clicando em seu centro e liberando o pokémon de fogo em feixe prateado.
O Charmander dava um salto e se empoleirava no ombro do garoto, finalmente ele teria encontrado um humano que não se importava por coisas fúteis,
ele tinha uma visão muito deturpada do mundo, de certa forma errônea, mas teria como consertar tudo isso.

-Novamente professor, eu repito. Lhe agradeço bastante, pode deixar que eu não irei me matar nessa jornada ! Hahaha, pelo contrário.
Irei buscar algo para viver, e por enquanto ... o meu motivo para viver é esse pequenino aqui.


O Suicida ergue sua mão e despede-se do professor, recolhendo todos os itens que o gordo o teria oferecido. Guardando-lhes na mochila que sua mãe o teria dado. Ele retirava-se do laboratório e se benzia, fazendo uma pequena prece a Arceus. Eis que a aventura do Suicida e seu Charmander preguiçoso iria começar de fato !
avatar
Crannel.Auditore
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 000 - O Suicida

Mensagem por Artie em Dom Out 29 2017, 23:59

Inicial entregue e perfil atualizado!

Fique a vontade para postar sua primeira rota em Litleroot ou proximidades. Boa jornada!

_________________
avatar
Artie
Administrador Chefe
Administrador Chefe

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum