Rote 121 - Todos contra o tempo

Página 3 de 12 Anterior  1, 2, 3, 4 ... 10, 11, 12  Seguinte

Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Mathito em Ter Ago 18 2015, 21:09


Soltei um risinho meio sarcástico e peguei Eros no colo lhe fazendo cafuné.

- Você ainda não entendeu o que eles significam para mim, não é? - olhei em seus olhos e pude ver que não, então resolvi responder logo - São minha família. Parte dela. Meu eternos amigos. Não gostaria de ficar fazendo deste Pokémon um filho de pais divorciados. Pensa no quanto ele iria sofrer e ficar confuso. Eu já abri mão de muito dos meus monstrinhos para vê-los felizes com quem eu tinha certeza que iria amá-los. Se você for fazer isso com esse... - peguei a Pokédex que por via da discussão ainda não tinha feito e vi de quem se tratava - Flet... Esse pássaro! Então acho que não devo me preocupar, certo?

Esperei que ele entendesse desta vez. Queria que fizesse o que teria de fazer para poder cuidar logo de Tropius e então poder partir. Havia mais ali a ser explorado. Eu sentia.

Por fim enchi meu queridinho de elogios e rodopios. Adorava escutar aquele som de sino que pendia em seu pescoço. Era realmente aliviador.

_________________

avatar
Mathito
Estagiário
Estagiário

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Nerkon em Qua Ago 19 2015, 02:01

EXP escreveu:Eevee recebeu 679 de EXP (351 + 328), subiu do nível 12 ao 14, recebeu 10 de felicidade e pode aprender Quick Attack.

Heracross recebeu 503 de EXP (175 + 328), subiu do nível 4 ao 8, recebeu 4 de felicidade e pode aprender Feint.

Combee recebeu 339 de EXP (175 + 164), subiu do nível 1 ao 5 e recebeu 6 de felicidade.

Tropius recebeu 339 de EXP (175 + 164), subiu do nível 2 ao 6, recebeu 6 de felicidade e pode aprender Sweet Scent.


O fim do confronto definitivamente trouxe bastante satisfação ao grupo dos rapazes, porém surgiu um problema em potencial devido ao fato de que apenas um dos treinadores poderia capturar Fletchling - cuja combinação de características era algo tão raro que poderia ser visto apenas uma vez em milhares ou talvez até milhões de espécimes. Noutra situação tal problema poderia originar um impasse, discussão e então uma briga que destruiria amizades facilmente, porém Mathew - num ato reflexivo de falta de ambição, pura e simples burrice ou talvez amizade cega - decidiu abrir mão do pássaro de um milhão, concedendo a captura a seu amigo.

Como a possibilidade de uma disputa foi avertida, restou ao treinador "vitorioso" apenas lançar a cápsula de captura e conseguir uma excelente adição à sua equipe. Quando Daisuke preparou para lançar sua Poké Ball, todos os presentes sentiram um odor repugnante, similar ao que haviam sentido a alguns segundos atrás, porém muito mais intenso, identificável apenas como uma mistura do cheiro de algo morto com outros fedores terríveis. Nenhum dos rapazes ou Pokémon aguentaram e logo todos os presentes estavam caídos de joelhos e com os olhos lacrimejando, enquanto mesmo os monstros desacordados sentiram-se mal pelo odor e demonstraram tal mal-estar através das caretas que fizeram. Daisuke foi o primeiro a sucumbir à força do cheiro quando vomitou onde estava, sendo seguido por Eevee e Mathew, embora Hippopotas não tivesse sofrido tanto quanto os outros três.

Após a cena nada agradável, o grupo percebeu algo se movendo nas árvores que encontravam-se ao redor da clareira, era uma criatura grande, mas que não puderam identificar pela cor ou formato do corpo devido aos olhos vermelhos e doloridos. Tal ser lançou um gancho na direção de Fletchling e em questão de segundos sumiu de vista, seguido pelo odor que aparentemente se originou de tal "ser" - se é que aquilo tratava-se de um Pokémon -, concedendo ao grupo a chance de respirar e recompor-se. Quando voltaram a ficar de pé, os rapazes notaram que parte do odor ainda estava por ali, embora não fosse o bastante para incomodá-los, e que uma "trilha" do cheiro havia sido deixada por onde o "gancho" passou para pegar Fletchling, o que indicou que em teoria seria possível seguir quem quer que tivesse roubado o pássaro de Daisuke, pois o corpo do invasor certamente havia deixado uma trilha similar. O que fariam, cientes de que fugir podia ter como resultado ser capturado por aquela monstruosidade?




Off:


Realmente acharam que eu ia dar um Fletchling desses de mão beijada? Façam-me o favor.

E sim, tem um link nesse off com um spoiler da rota. :V
avatar
Nerkon
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Mathito em Qua Ago 19 2015, 11:17


Era só o que faltava. Um cheiro tão insuportável que havia de afetar a mente e causar tonturas. Se ao menos Tropius estivesse em condições... Ou talvez até mesmo Combee. Ambos poderiam utilizar Sweet Scent e afastar o mal cheiro com Gust. Infelizmente quem estava por trás desse odor era esperto o bastante para deixar os únicos Pokémon capazes de se livrar do mal cheiro caírem antes de entrar em campo. Quando, sem ter mais o que fazer apenas observar, encarei aqueles olhos vermelhos e estranhos fiquei vidrado. Não consegui perceber nada mais.

Logo que a criatura estranha dos olhos ensanguentados se foi eu me senti melhor em relação a tontura. Me ergui e procurei vestígios, como uma pena do Fletchling, caso encontrasse logo a guardaria enrolada num pano sem cheiro dentro da mochila. Por sorte, eu tinha o melhor cão detetive(farejador) de todos.

- Mr. Pig, precisamos de você! - então o Fire de Unova veio ao nosso encontro cheio de brasas - Amigo, preste atenção. Cena criminal: Ladrões com cheiro ruim roubaram um Pokémon Voador e fugiram. Encontre o odor e nos leve até o mal encarado, vamos!

Olhei para Daisuke e fiz sinal para ele seguir o porquinho fantástico com habilidades policiais. Não precisaria daquele focinho, mas não queria perder mais tempo. Chamei Eros e pedi para que não perdesse Tepig de vista. Quem quer que seja iria sofrer com fogo e raio se não parasse de nos fazer de besta.


off:
Isso se passou pela minha cabeça, mas não sei por quê ignorei.
Me senti ofendido no primeiro parágrafo e-e
Trocar Tackle por Quick Attack;
Trocar Leer por Sweet Scent.

_________________

avatar
Mathito
Estagiário
Estagiário

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Kaze em Qui Ago 20 2015, 23:43





De certa forma estava bem óbvio que algo desse tipo poderia acontecer, para alguém que nunca conseguiu andar em uma simples calçada sem tropeçar, conseguir encontrar um Pokémon como aquele, ter a sorte de tentar uma captura e, ainda por cima, adiciona-lo a minha equipe futura era algo bem incomum. Infelizmente eu estava certo, um cheiro horrível invadiu minhas narinas e aos poucos comecei a sucumbir ao cheiro, cai de joelhos e vomitei todo o café da manhã.

Depois de ver que o pássaro de fogo havia sido raptado pelo monstro fedorento procurei ao redor para ver se Hippo e os outros estavam bem. Matthew estava bem e já tentava bolar algum plano, aparentemente o Tepig faria o papel do detetive. Pensei um pouco também e decidi que por enquanto, iria apenas seguir Tepig, mas, antes de sentir aquele cheiro horrível novamente eu me prepararia.

Peguei uma blusa de frio na bolsa e amarrei no pescoço, para tentar amenizar o cheiro horrível quando nos encontrássemos com o Pokémon ladrão ou sei la o que seja aquilo. Voltei Hippo para a pokébola e disse ao meu companheiro de aventura:

- Proteja-se também, o odor é muito forte! E não acho uma boa ideia o Tepig seguir a trilha desse cheiro, é muito forte, ele pode se sentir enjoado com muita facilidade já que seu olfato é mais apurado...

Esperei a resposta do garoto para discutirmos o que fazer...
avatar
Kaze
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Mathito em Sex Ago 21 2015, 11:31


Antes deu sair correndo Daisuke me alertava de algumas coisas e queria discutir sobre a situação decorrida antes de agir... Eu concordaria, se o criminoso não estivesse a ponto de escapar.

- Dai, a gente não tem tempo. Se você tiver ideia melhor fala enquanto corre. Vamos!
- tentava incentivar meu amigo que aida relutava em não seguir Tepig se preocupando com meu Pokémon.

Eu nunca tinha visto Tepig reclamar de mal cheiro. Nem mesmo quando lutei contra um Grimer ele se incomodou. Sua única fraqueza era a chuva. Deveria parecer ácido ou algo assim. Mas segui a dica de me proteger, tirando a camisa e prendendo no rosto como um gângster. Procurei um lenço na mochila para fazer o mesmo com Eros.

_________________

avatar
Mathito
Estagiário
Estagiário

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Kaze em Sex Ago 21 2015, 12:11

Off:
Nerkon, pode narrar.

Algo me diz que isso é um Garbodor. q



Apesar da pressa que Mathito e eu tínhamos de salvar o pequeno Fletchinder, eu não sabia bem o que fazer, de certa forma estava um pouco perdido demais para raciocinar outra ideia melhor do que usar Tepig. O cheiro ainda estava bem forte, portanto seguir a trilha não seria tão difícil assim, apesar de me preocupar em não saber o que fazer quando estivéssemos diante da criatura:

- Tudo bem então, vamos rápido!

Ajeitei a camisa no meu rosto de forma a me proteger do cheiro e segui Matthew e seu grupo de Pokémon. Esperava ter sucesso no resgate do pássaro de fogo e também me livrar daquela misteriosa criatura.
avatar
Kaze
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Nerkon em Sab Ago 22 2015, 02:24

Por "sorte", a brutalidade com a qual a criatura desconhecida havia agarrado Fletchling foi o suficiente para derrubar três penas da ave, as quais Mathew pôde guardar sem problemas. Por outro lado, quando o rapaz decidiu pedir ajuda a seu Tepig, o Pokémon se assustou com o odor a ponto de se jogar no chão e tentar cobrir o nariz com as patas, mas falhou em realmente se livrar da tortura e foi apenas após alguns segundos de transe que o porco se adaptou melhor ao fedor, ainda que não tivesse gostado nem um pouco de ter de cheirar o que quer que tivesse deixado aquele cheiro forte para trás.

Apesar da reação inicial do Pokémon de Mathew, os treinadores puderam contar com a ajuda - desnecessária, na verdade - de Tepig e Eevee, e não tardaram para começar a perseguição pela criatura que estava à solta naquela rota. Não foi difícil de seguir o rastro que o monstro deixou para trás, muito pelo contrário, pois o difícil seria um dos rapazes sair da trilha e não perceber tal fato, tudo graças à intensidade do fedor que ficou por onde quer que aquela criatura tivesse passado. O grupo dos treinadores ficou um bom tempo perseguindo uma trilha que mais pareceu ser interminável e para piorar não havia nenhum Pokémon selvagem por perto, supostamente por terem sido afugentados pelo monstro ou seu fedor - provavelmente ambos, na verdade -, o que tornou a caminhada monótona. O bando continuou a seguir em direção ao norte e por vezes os jovens nem mesmo notaram a passagem do tempo, uma vez que ambos estavam concentrados em aguentar o fedor.

Após mais de uma hora de perseguição, o grupo finalmente chegou. Inicialmente estavam em apenas mais um lugar comum da rota, com árvores por todo canto e mata fechada atrapalhando a passagem de qualquer ser humano que se aventurasse por ali, porém subitamente Tepig - que havia se tornado a vanguarda do grupo - assustou-se com algo e virou-se para seu mestre, entretanto Mathew não viu nada à frente: Afinal, haviam apenas árvores e vegetação, além do cheiro que sentia. Claro, tudo mudou quando o rapaz deu mais um passo para frente, pois ao fazer isso ele atravessou alguma espécie de barreira e presenciou a mudança mais radical possível do cenário da localidade.

À frente havia uma grande mansão de, aparentemente, dois andares, a qual certamente havia tido seus dias de glória, mas que naquele momento encontrava-se cercada por vegetação morta, um jardim defunto, plantas tomando conta das janelas e partes de seu exterior aos pedaços, incluindo as portas de entrada, as quais estavam caídas. Curiosamente, o rastro do monstro ia na direção da mansão e acabava ali. Mais que a aparência, todo o ambiente ao redor do edifício possuía uma aura fortíssima de que havia algo fora do lugar ali, embora nenhum dos presentes soubesse qual era o problema do lugar.



Spoiler:

Off: Seguinte, vocês estão na entrada de um edifício e eu pretendo preparar uma planta depois. Dentro desse edifício vocês vão poder encontrar itens relacionados ao plot ou que podem ajudá-los, pistas, cenários e outras coisas a ver com o plot e que podem influenciar qual rumo vocês vão tomar na rota, incluindo a dificuldade dela e as recompensas. Por hora, se contentem com essa imagem

Vocês vão poder interagir com praticamente tudo que está na mansão, sendo que às vezes podem encontrar algo que não tenha importância, mas podem também encontrar algo que seja útil, então façam questão de se atentarem ao cenário e prestarem atenção com as direções! Vocês podem se separar, óbvio, ou permanecerem unidos para reduzir os riscos. Boa sorte e sejam espertos, nem tudo é o que parece e eu posso (e vou) lançar dicas no texto através do cenário ou algo do tipo.

Ah, e Mathito: Eu não narrei que o bicho tinha olhos vermelhos, mas ignorei nessa situação especifica. A imagem foi só de zoa mesmo, o Diablo (ainda) não apareceu na rota de vocês. q


♦ HPs e Status
• Heracross: 0/31 ☻
• Combee: 0/18 ☻
• Tropius: 0/28 ☻
• Eevee: 29/40 ☺
avatar
Nerkon
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Mathito em Dom Ago 23 2015, 00:02


Em situações normais eu já teria desistido. Aquele Pokémon provavelmente já devia ter virado parte da cadeia alimentar de algum bicho. Mas se eu tivesse desistido antes mesmo de chegar aonponto onde paramos não teria chegado àquela conclusão. Não estavam de olho no pássaro... Estavam de olho em mim.

Imediatamente procurei a ball de Ledian e pensei em dar o fora o quanto antes. Foi então que lembrei que ela estava em segurança na casa da minha mãe. Meu momento de surto estava passando, mas aquilo parecia um imenso dejavu. Eu e mais um amigo numa mata fechada procurando por pistas de um estranho com Tepig liderando a caçada até chegar numa mansão esquisita. Senti calafrios e entendi o motivo de Mr. Pig ter se escondido atrás de mim. O serial killer estava solto? Mas como ele tinha vindo para Hoenn? Ou era mais um de seus truques Psíquicos? Eu estava ficando louco. Mais uma vez confuso e mais uma vez preso ao dilema dos meus princípios.

- Dai... acho que não consigo... não conseguir mais.

Segurei o suíno e o pressionei contra o colo tentando segurar todos aqueles gritos de pessoas que não pude salvar. Aquilo não podia estar acontecendo de novo.

_________________

avatar
Mathito
Estagiário
Estagiário

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Kaze em Dom Ago 23 2015, 00:18





Fomos andando até chegar em uma mansão, era gigante, e parecia bem assustadora. Aquela aura, eu já havia sentido aquilo em algum lugar, era algo que parecia não estar dando certo, algo fora do eixo, que não seguia o padrão. Eu estava suando frio, exitando dar mais alguns passos.

"Vale mesmo ir tão longe por um Pokémon?" Pensei por alguns instantes, só que as lembranças de meus monstrinhos sobrepuseram o medo do desconhecido, se fosse para se aventurar por um lugar tão inóspito como aquele que fosse para salvar um Pokémon! Eu ainda estava trêmulo, provavelmente eu sofreria com isso durante todo a exploração.

Olhei para o lado e vi que Matthew estava pior do que eu, ele não parecia disposto a continuar, mesmo assim tentei ao máximo me manter firme:

- Ei, calma ai! Ainda nem entramos, não está com medo está? Você é o cara mais forte com que eu batalhei, uma mera mansão não vai te derrubar vai?

Eu estava dizendo aquilo da boca pra fora, no fim, eu estava com mais medo do que ele. Desde o acidente com Jigsaw eu não havia me acostumado com o fato do sobrenatural e o desconhecido me atraírem tanto. Depois de passar por essa rota a primeira coisa que farei vai ser tomar um banho de sal grosso!



Off:
Primeira coisa que pensei: Porra, morri. q

Segunda coisa que pensei: Foda-se a porr toda, o plot ta ficando legal. Sempre quis tentar isso que tu ta disposto a fazer, bora la então :V
avatar
Kaze
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Mathito em Dom Ago 23 2015, 00:32


Meu rosto só mirava o chão tentando não encarar o garoto.

"Não pode ser verdade" - Eu tentava me convencer, em vão.

Tentei olhar para cima mais uma fez, mas me sentia tão pequeno quanto Tepig.

- Eu estive em uma situação perturbadora antes de te conhecer. - fiz uma pausa tentando não recordar os maus momentos - Estava ajudando uma amiga... Ela tinha perdido o avô e o irmão. Acabamos parando numa mansão muito parecida com esta... Abandonada e no meio do nada.

Estremeci com a história e fiz Mr. Pig guinchar. Pedi desculpas e continuei.

- Haviam muitos Pokémon Psíquicos. Ele, o homem que tinha especialidade em ilusões, me enganou tantas vezes que eu cheguei a desconfiar dos meus próprios Pokémon... Lutei contra monstros e mesmo assim ele fugiu... O homem matava por diversão Dai... Ele jurou que teria sua vingança... Eu não sei se consigo entrar lá. Acho que vou te atrapalhar. E eu nunca fui forte. Sem eles eu não sou nada.

Chamava Eros para perto de mim e sentava no chão me escondendo da casa enorme que parecia querer nos engolir. Eu devia ter ouvido Sara e aprendido Protect enquanto era tempo. Já não tinha mais ciência do que fazia. Já não tinha mais noção do que pensava.

_________________

avatar
Mathito
Estagiário
Estagiário

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Kaze em Dom Ago 23 2015, 10:43








Fiquei estático!

Escutei calado toda a história que Matthew me contou, mesmo calado eu ainda estava tremendo, seria até engraçado pensar que até pouco tempo atrás eu havia sentido o mesmo. Apesar de ter começado a pouco tempo, minha jornada já havia passado por tantos momentos preocupantes, era mais do que certo estarmos com certos medos, receios...

Me lembrei de Jigsaw, o homem que havia tentado me matar em Pewter, se fosse ele ali estaríamos em sérios apuros. Por um momento pensei na sorte que Mimi tinha em não nos seguir até la, a garota já havia passado por muita coisa, e mais um trauma séria demais. Olhei para Mathito, ele olhava para baixo com temor, ele estava com mais medo do que eu.

- Não sei nem o que falar. - Eu não sabia mesmo, a única coisa que me confortava era que logo poderia esquecer daquilo. - Bom, eu irei. Se aquele cara que você falou estar ai, vou lançar Rotom e fritar os miolos dele! Se acalma, já passei por muitas coisas também. - Nesse ponto da conversa, me lembrei que nenhum de nós dois sabia nada sobre o outro, eramos companheiros de jornada, mas ainda eramos completos desconhecidos. - Mansões abandonadas podem ser perigosas, mas, olhe bem, encontrei Rotom em uma mansão abandonada.

Olhei para frente, se fosse analisar bem aquele edifício parecia muito com a mansão que encontrei Rotom. Respirei fundo, dei os primeiros passos para frente e comecei a caminhar meio relutante em direção a entrada daquele local nada receptivo.

- Eu vou salvar o fletchling! Se não quiser me seguir me espere, por favor! - Disse, sem olhar para trás. - Chame as autoridades, é perigoso demais isso tudo... E... caso eu não volte, cuide da Mimi por mim.

No fundo, eu esperava que Matthew fosse comigo. Apesar de parecer tranquilo, eu estava me cagando por dentro por ter que explorar aquele lugar sozinho!
avatar
Kaze
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Mathito em Dom Ago 23 2015, 13:06


Balançava a cabeça enquanto ouvia as palavras de Dai. O que havia comigo? Eu estava tão bem agindo enquanto lutava contra as armadilhas do criminoso. Não fiquei abalado um instante se quer. Não havia tido medo. Fui um verdadeiro pilar. Eu fui... fui alguém diferente.

- Dai... não me deixa aqui sozinho. - falei como um debilitado arrumando forças nas pernas e tentando me manter estável.

Retornei Tepig e olhei para Eros que ainda não entendia todo o meu temor. Pensei em coloca-lo em segurança também, mas sua presença me acalmava. Queria que ele estivesse ali caso eu precisasse. Olhei para Daisuke e assenti com a cabeça confirmando minha presença ao lado de, mas antes eu precisava fazer algo.

Tire da mochila um Lava Cookie. Encontrei um pacote no episódio da mansão que acabou explodindo no final. Do lava cookie parti ao meio e entreguei uma banda para o garoto.

- Dê para Combee. Darei esta parte para Tropius. As habilidades deles podem nos ajudar caso o odor apareça de novo.

Depois parei para respirar e fazer o que tinha dito. Retornei Tropius logo em seguida e então seguia meu amigo pelo caminho estranho até as portas da grande casa.



_________________

avatar
Mathito
Estagiário
Estagiário

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Kaze em Dom Ago 23 2015, 16:18

Off:
Nerkon, pode narrar.

Thito, Lava Cookie só cura problema de status...



Matthew decidiu me seguir, ele não queria ficar sozinho, portanto seria uma boa ideia irmos juntos explorar aquela mansão. Eu estava com medo, tremendo na verdade, mas, ainda que tudo tivesse perdido, iríamos explorar o local e salvar o pássaro daquele Pokémon, ou ser, horrível que fez aquilo com o Pokémon.

Lancei Combee para fora, aproveitei o fato de Tropius estar fora da pokébola também e peguei um dos meus Sweet Heart. Parti ao meio e ofereci a Tropius e Combee, os deixando preparados para um caso de emergência. Os lava Cookie poderiam ajudar caso tivessem algum condição de status prejudicial, com certeza ele estava muito nervoso, por isso o erro.

Adentramos o local para explorar e descobrir o paradeiro do Pokémon voador.

avatar
Kaze
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Nerkon em Ter Ago 25 2015, 19:30

Ambos os treinadores tinham conhecimento deveras limitado acerca daquela mansão, pois o conhecimento dos dois limitava-se ao fato de que havia um monstro abrigando-se na mansão. Nenhum dos dois sabia o que existia no interior do edifício, que tipo de pessoa havia morado ali, o que aconteceu com os antigos moradores, por qual razão a mansão estaria oculta numa espécie de barreira e ao mesmo tempo esquecida pelo resto do mundo ou a razão pela qual o monstro havia ido até tal lugar. Tais perguntas iriam perdurar na mente de ambos e apenas explorar o lugar poderia respondê-las, pois talvez um mistério muito maior que o imaginado pudesse estar relacionado ao lugar.

Inicialmente o caminho da dupla de treinadores ameaçou divergir, porém Mathew foi persuadido a tempo e optou por continuar com Daisuke durante a exploração da mansão. A preparação de ambos fluiu sem problemas, à medida que o Sweet Heart dado aos Pokémon os permitiu voltar às condições minimamente aceitáveis para o combate, enquanto o Lava Cookie de Mathew - que não teria efeito duma forma ou de outra - foi recusado pelos Pokémon, que gesticularam querer que o rapaz guardasse o biscoito para quando ele fosse necessário.

Com as preparações feitas, a dupla adentrou na mansão. O salão principal, como aquela sala na qual entraram provavelmente foi conhecida no passado, era relativamente grande, possuindo espaço o bastante para uma escadaria no lado oposto da câmara, a qual levaria ao segundo andar caso os jovens decidissem seguir por ali. Aos lados da escadaria, estavam duas escadas de três degraus cada, as quais levavam para o que pareciam ser corredores, mas que na verdade eram apenas espaços onde antes estiveram um par de bustos que na atualidade encontravam-se completamente destruídos. Do lado esquerdo do salão estava uma porta maior, enquanto do lado direito havia um par de portas, um ao norte e outro ao sul. Além dos caminhos que poderiam tomar, os treinadores notaram a presença de um candelabro destruído que estava caído no centro do salão, um tapestre vermelho velho que ia dos portões de entrada até a escadaria principal, dois pares de colunas em cada lado que acompanhavam o tapestre - e que estava em bom estado de conservação, se comparados ao restante do lugar -, alguns retratos ou quadros destruídos e posicionados nas paredes ou no chão próximo às paredes, e pedaços de tinta descascada que haviam caído das paredes. O lugar definitivamente não estava em boas condições, mas difícil era dizer se aquilo se devia ao tempo ou à ação de alguma criatura.

No final das contas, haviam quatro caminhos óbvios que podiam ser tomados.


Spoiler:

Off: Sweet Heart eu botei pra restaurar 10 de HP (metade do usual, já que o efeito normal é 20) de cada um dos Pokémon, o lava cookie não teria efeito algum, então fiz os Pokémon recusarem e deixei o troço na mão do Mathito para caso precisem depois.

Foi mal pela demora, a gripe não ajudou e, para ser honesto, eu meio que esqueci de narrar até ontem. Se eu demorar um pouco a partir de agora, vou no mínimo tentar ir conversando com um de vocês, pois a razão muito provavelmente será que eu estarei pensando na planta do lugar, tá certo? Por isso sugiro que me consultem no Skype/chat quando possível.


♦ HPs e Status
• Heracross: 0/31 ☻
• Combee: 10/18 ☺
• Tropius: 10/28 ☺
• Eevee: 29/40 ☺

♦ Mathew's item pocket
• Fletchling's feather x3
avatar
Nerkon
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Kaze em Qua Ago 26 2015, 22:19





Adentrar aquela mansão não foi nada fácil, a tensão que rodeava o local era totalmente contra a energia que estávamos tentando manter durante o começo da rota. Eu me perguntava a toda hora como uma simples caçada havia se transformado em uma perseguição a uma criatura tão estranha e fedida que deixava a todos com náuseas.

Olhei bem o ambiente em volta e me senti um tanto intimidado, eram muitas escolhas, porém duas delas me deixavam com uma certa curiosidade, o andar de cima com certeza poderia nos render alguma surpresa ou, pelo menos, alguma pista do paradeiro da criatura mal cheirosa. O outro era o lugar mais afastado, onde poderíamos encontrar alguma coisa por la.

Fui até o candelabro e verifiquei se não havia nada de diferente nele, alguma gosma ou indicio de que o ser havia passado por ele. Olhei para Matthew e perguntei:

- Thito, o que devemos fazer? Acha que devemos explorar o segundo andar?

Aguardaria um pouco para descobrir sua resposta. Com toda a certeza ele estava com medo, assim como eu.

avatar
Kaze
Treinador
Treinador

Alertas :
0 / 100 / 10


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Rote 121 - Todos contra o tempo

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 12 Anterior  1, 2, 3, 4 ... 10, 11, 12  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum